24/04/2022

LUZ PRÓPRIA

Em Mateus, cap. 5, Cristo faz uma revelação extraordinária a seus discípulos: "Vós sois a luz do mundo".

Em sua obra "Mensagem das Estrelas" Max Heindel afirma:

"Quando os seres de um planeta já evoluíram a um grau suficiente, esse planeta torna-se um sol, o centro de um sistema solar. Quando os seres evoluem para um grau maior, consequentemente o astro alcança seu brilho máximo. Então ele se fragmenta num zodíaco e torna-se, por assim dizer, a matriz de um novo sistema solar. Assim, as grandes hostes de seres divinos que até então estavam confinados àquele sol, adquirem liberdade de ação sobre um grande número de estrelas pelo que podem afetar, de maneiras diversas, o sistema que cresce dentro da sua esfera de influência."

Todos temos, portanto, uma origem divina e um brilho potencial, aguar dando o momento de manifestar-se. Isso sucede quando temos consciência dessa herança divina e exercemos a prerrogativa de empregá-la em nossa vida.

No princípio dependemos muito de ajuda externa para caminhar. Somos como que iluminados desde fora para não tropeçar e desfalecer diante dos obstáculos. Porém, à medida que avançamos no caminho evolutivo vamos adquirindo luz própria. Aprendemos a voar com as próprias asas, fortalecidos nos embates quotidianos pela nossa vivenda espiritual. E quando começamos a irradiar nossa própria luz. Assim, ter luz própria é bastar-se a si mesmo, sendo capaz de romper velhos paradigmas e ir além de seus limites.

É ilusão, entretanto, imaginar que essa luz interior possa começar a resplandecer num momento único e grandioso, tal como aconteceu com Paulo na estrada de Damasco ou Moisés na sarça ardente. Esses "acontecimentos grandiosos" geralmente encontram-se nas pequenas coisas do dia a dia, nas aparentes nulidades ou banalidades da rotina familiar ou profissional. É justamente nas coisas corriqueiras, que tantas vezes nos incomodam pela sua pequenez e insignificância que exercitamos nossas potencialidades espirituais. Nelas estão as verdadeiras oportunidades para nossa luz brilhar.

Publicado no ECOS MAI JUNHO 1999 da Fraternidade Rosacruz - Sede Central do Brasil

02/03/2022

UMA PINTURA AQUARIANA

  
Giusto de' Menabuoi - Creazione - Battistero del Duomo di Padova Fonte: Wikimedia

por Jonas Taucci
“Há, também, três artes que procuram expressar o bom, o verdadeiro e o belo nestes três atributos da Alma do Mundo (forma, cor e som): escultura, pintura e música”. (Max Heindel, Mistério das Grandes Óperas, Cap.VII – Parsifal).

Giusto Menabuoi foi um importante pintor do período renascentista; italiano – nascido em Florença - viveu entre os anos de 1.320 e 1.391 e nos deixou várias obras maravilhosas em diversas igrejas.

A pintura acima encontra-se no Batistério da cidade de Pádua, um anexo da Catedral de mesmo nome.

Se olharmos atentamente, veremos diversos aspectos interessantes que podem ser reconhecidos como rosacrucianos:

- Cristo está localizado entre os signos zodiacais de Peixes e Aquário. (Por Precessão dos Equinócios estamos neste momento, assim como à época da pintura).

- O maior iniciado do Período Solar tem à sua frente a Hierarquia Zodiacal de Aquário. (Os Ensinamentos Rosacruzes estão baseados nos preceitos desta Hierarquia).

- Há nove anjos em volta do Cristo. (Nove o número da humanidade).

- Quatro destes anjos estão numa tonalidade de cor diferentes dos outros 5 anjos. (Os Anjos dos Destino são em número de quatro, conhecidos como as Hierarquias de Touro, Escorpião, Leão e Aquário). (Veja aqui mais informações)

- Existem nove círculos em volta do globo terrestre, em cores diferentes. (As nove diferentes camadas ou estratos de nosso planeta, descritos no Conceito Rosacruz do Cosmos).

- Ainda que um pouco distante, geograficamente, do correto, há os contornos do planeta Terra. Esta obra foi pintada no século XIV.

- A maior parte do corpo de Cristo, localiza-se na cor amarela, e sua cabeça na parte azul da pintura. (Amarelo, a cor do Cristo, azul a cor do Pai. Também pode-se entender como os Mundos do Espírito de Vida e Divino).

Max Heindel nos informa sobre a data de fundação da Ordem Rosacruz como sendo 1.313, muito próximo do período vivido pelo artista Giusto Menabuoi.

Antigos probacionistas - e fundadores de Centros Rosacruzes pelo Brasil – me diziam que, no transcorrer dos futuros anos e décadas, os Ensinamentos Rosacruzes seriam notados em lançamentos de livros, peças de teatro, pintura, música, medicina, filmes, culinária etc. sem que necessariamente fossem divulgados pela Fraternidade Rosacruz como uma associação.

Estavam certos.

“Porque nada há encoberto que não haja de ser manifesto, e nada se faz para ficar oculto, mas para ser descoberto (Marcos 04:22).

**************

SUGESTÕES DE LEITURA

* Conceito Rosacruz do Cosmos, Max Heindel, Capítulo XVIII – Constituição da Terra e Erupções Vulcânicas. Diagrama 18. (Aqui)

* Conceito Rosacruz do Cosmos, Max Heindel, Gênese e Evolução do Nosso Sistema Solar. O Nascimento dos Planetas. (Aqui)

* Iniciação Antiga E Moderna, Capítulo I, Max Heindel O Templo de Mistério Atlante, O Átrio do Tabernáculo. (Aqui)

* A Mensagem das Estrelas, Max Heindel e Augusta Foss Heindel, Capítulo I, A Evolução Segundo o Zodíaco. (Baixe aqui em PDF)

* Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas, Max Heindel Volume I, pergunta 75. (Aqui)

* Lição Mensal do Estudante (Oceanside), de Outubro/1.966 à Fevereiro/1.967, que versa exclusivamente sobre cores. Será publicada futuramente.

Os livros abaixo, são excelentes para obtermos um panorama sobre as artes na história da humanidade.

1) A Educação pela Arte, Herbert Read.

2) A História da Arte, Ernest Gombrich.

3) História da Arte, Graça Proença.

4) Iniciação à História da Arte, Janson & Janson.

5) História Social da Arte e da Literatura, Arnold Hauser.

E o romance  “Um Gosto e Seis Vinténs”, de Somerset Maugham.

30/01/2022

A ASTROLOGIA COMO AUXILIAR NA ARTE DE CURAR

1 - A BASE ASTROLÓGICA DA CURA

Sobre a imagem vide nota no final do artigo

É fato bem conhecido do médico moderno que o estado do sangue, e, por conseguinte, de todo o corpo, muda de acordo com o estado mental do paciente, e quanto mais o médico empregar a sugestão como auxiliar dos remédios, tanto mais êxito obterá. Todavia, são poucos os que aceitariam o fato de que tanto nosso estado mental como o físico são influenciados pelos raios planetários, que mudam com o movimento dos respectivos planetas.

Desde que foi reconhecida a existência da radioatividade, as investigações levaram a constatar que todos os corpos celestes lançam partículas radioativas no espaço. Na telegrafia sem fio demonstra-se que as ondas etéreas viajam rapidamente e seguramente através do espaço e atuando por meio do manipulador de acordo com a nossa vontade. Sabemos também que os raios do Sol nos afetam de modo diferente pela manhã, quando nos atingem horizontalmente, do que ao meio-dia, quando caem sobre nós perpendicularmente. Se os raios luminosos do Sol, que se movem rapidamente, produzem mudanças físicas e mentais, por que não teriam efeito correspondente os raios persistentes dos planetas mais lentos? Estes raios planetários têm realmente essas influências sobre a nossa saúde, constituindo um importante fator que não pode ser ignorado por nenhum cientista que se ocupe com o bem-estar do corpo humano. Por isso podemos obter resultados mais rápidos, quando os raios estelares são mais propícios para a cura de uma determinada enfermidade ou para o tratamento com remédios preparados sob condições auspiciosas.

Se os médicos estudassem a ciência da Astrologia, poderiam diagnosticar com eficiência, despendendo um esforço muito menor do que os médicos leigos nessa matéria. Alguns médicos já estão percebendo este fato e descobriram experimentalmente que os corpos celestes têm influência sobre o corpo humano. Por exemplo, quando o autor esteve em Portland, Oregon, ouviu um médico dizer que se realizasse uma operação enquanto a Lua está no crescente, isto é, entre a Lua Nova e a Lua Cheia, sempre teria êxito, não se devendo apresentar complicações. Por outro lado, quando as circunstâncias o obrigavam a realizar uma operação quando a Lua estava no minguante, isto é, entre a Lua Cheia e a Lua Nova, sempre havia perigo de complicações e as operações nunca eram tão satisfatórias como as que realizava enquanto a Lua estava no crescente.

A maneira de descobrir as peculiaridades do Espírito que habita no corpo do paciente, consiste em calcular seu horóscopo e ver quais os momentos propícios para a administração das drogas, dando as ervas adequadas no tempo devido. Paracelso fazia assim e sempre obteve êxito com seus pacientes: nunca se enganou. Hoje existem alguns que utilizam a Astrologia com esses propósitos; o autor por exemplo a está utilizando para diagnosticar em muitos casos. Sempre pode prever as crises no estado do paciente: as passadas, as presentes e as futuras, o que capacitou para aliviar as pessoas que sofriam de diversas enfermidades.

A Astrologia só deveria ser utilizada com essa finalidade e jamais ser degradada para adivinhar o futuro e ganhar dinheiro, porque, como todas as ciências espirituais, deve ser empregada somente em benefício da humanidade, sem nenhuma consideração mercenária.

Nosso sistema solar é constituído por 7 Planetas de forma aproximadamente esférica. Cada uma destas esferas tem sua própria nota-chave, emitindo um som que é diferente do som de qualquer outro corpo celeste. Um ou mais deles vibram em sincronia particular com o átomo-semente (saiba o que é) do Ego que está buscando incorporação. Este planeta corresponde à "tônica" da escala musical, e embora as notas de todos os planetas sejam necessárias para construir completamente o organismo, cada corpo se modifica e diferencia de acordo com o impacto básico dado pelo planeta mais harmonioso que se converte assim no regente dessa vida. O que acontece com a música terrestre também sucede com a celeste; há harmonias e dissonâncias e elas se imprimem no átomo-semente ajudando a formar o arquétipo. Formam-se assim linhas vibratórias de energia que mais tarde atraem e ordenam as partículas físicas como os grãos de areia se distribuem em figuras geométricas ao se passar um arco de violino pelo prato de bronze que os contém.

O corpo físico forma-se mais tarde segundo estas linhas vibratórias arquetípicas, e desta maneira vem a expressar exatamente a harmonia das esferas, tal como ressoava no período de sua construção. Este período, todavia, é mais longo do que o da gestação e varia de acordo com a complexidade da estrutura requerida pela vida que procura manifestação física. O processo de construção do arquétipo não é contínuo porque quando os aspectos dos planetas emitem sons aos quais o átomo-semente não pode responder, essas vibrações apenas passam sobre o átomo-semente ficando este à espera de um novo som que possa empregar para continuar formando o organismo no qual vai expressar-se.

Assim sendo, o organismo terrestre que cada um de nós habita é modelado de acordo com as linhas vibratórias produzidas pelo som das esferas. As dissonâncias que se manifestam como enfermidades são provocadas, em primeiro lugar, pelas desarmonias espirituais internas. É evidente também que se conseguirmos obter conhecimento exato das causas diretas dessas desarmonias e as remediarmos, as manifestações físicas da doença logo desaparecerão. Esta informação pode ser conseguida pela consulta ao horóscopo natal porque nele cada planeta em sua casa e signo exprime harmonia ou desarmonia, saúde ou enfermidade. Portanto, todos os sistemas de cura são adequados somente na medida em que se tomem em consideração as harmonias e desarmonias estelares expressas pela roda da vida: o horóscopo.

Embora as leis da Natureza normalmente governem os reinos inferiores de maneira absoluta, podem ser neutralizadas por leis espirituais quando se trata dos reinos superiores. Por exemplo, o perdão dos pecados, quando reconhecidos e confessados, com o devido arrependimento, neutraliza a ação exclusiva da Lei de Consequência, a lei que exige "olho por olho e dente por dente".

Quando Cristo utilizou o corpo de Jesus na terra e curou os enfermos, Ele, que era o Senhor do Sol, encerrava em Si a síntese das vibrações estelares, da mesma maneira que a oitava musical contém todas as tonalidades da escala, e portanto podia emitir de si mesmo a influência planetária corretiva requerida em cada caso. Ele sentia a desarmonia e sabia imediatamente como desfazê-la em virtude de Seu exaltado desenvolvimento. Não tinha necessidade de nenhum preparo prévio pois obtinha os resultados instantaneamente, substituindo a desarmonia planetária causadora da enfermidade que estava curando, pela harmonia. Só em um caso recorreu à lei superior e disse: "Levanta-te; teus pecados estão perdoados".

Sucede o mesmo com o método de cura Rosacruz pois depende do conhecimento das discordâncias planetárias que causam a enfermidade e da influência corretiva que pode remediá-la. Isto tem sido suficiente em todos os casos de que temos notícia até agora. Existe, todavia, um sistema mais poderoso que pode ser utilizado de acordo com as leis superiores, as quais podem acelerar o restabelecimento em casos muito antigos, e, em certas circunstâncias, onde exista um sincero e sentido reconhecimento de culpa, este poderá apagar os efeitos da enfermidade antes que o destino frio duro decrete o contrário.

Quando contemplamos com visão espiritual uma pessoa enferma, tenha ou não seu corpo extenuado, torna-se evidente que os veículos sutis são muito mais tênues do que durante a saúde. Por isso não transmitem ao corpo físico a quota necessária de vitalidade, e assim fica mais ou menos quebrantado. Mas qualquer que seja o estado de extenuação do resto do corpo físico, certos centros tênues mesmo quando gozamos de perfeita saúde, em grau diverso de desenvolvimento espiritual do homem ficam obstruídos em maior ou menor grau de acordo com a gravidade da enfermidade. Isto se aplica especialmente no que concerne ao centro que se encontra entre as sobrancelhas. Nesse ponto o Espírito está emparedado, às vezes a tal ponto que perde todo o contato com o mundo externo e com o seu progresso, de sorte que se concentra de tal forma sobre si mesmo e sobre o seu próprio estado que só a completa ruptura com o corpo físico pode pô-lo em liberdade. Este processo pode durar muitos anos e, nesse tempo, as discordâncias planetárias que produziram a enfermidade inicial podem ter desaparecido, mas o paciente já não está em condições de se valer dessas circunstâncias favoráveis. Nesses casos é necessária uma emissão espiritual especial, para levar à alma a mensagem de que "seus pecados foram perdoados". E uma vez que tenha ouvido essa mensagem, pode responder à ordem: "Toma o teu leito e anda".

No estado atual da humanidade ninguém alcançou, nem de Perto, a estatura espiritual do Cristo; por conseguinte,' ninguém pode exercer Seu poder nesses casos extremos, pois existe atualmente tanta necessidade desse poder em manifestação ativa, como há dois mil anos. O Espírito compenetra tudo no nosso planeta, mas em graus diferentes. Tem mais afinidade com algumas substâncias do que com outras e sendo uma emanação do Princípio Crístico, é o Espírito Universal que constitui o Mundo do Espírito de Vida, que restaura a harmonia sincrônica do corpo.

Imagem conforme relação dos tons musicais com o corpo humano ( Cap. V- Nossos Arquétipos Musicais do livro: A ESCALA MUSICAL E O ESQUEMA DE EVOLUÇÃO - Artur Taylor (baixe em PDF aqui)

19/01/2022

CARTAS DE MAX HEINDEL (4 A 8) DO CURSO ELEMENTAR DE ASTROLOGIA

Marte e Vênus por Sandro Botticelli, óleo sobre madeira. Fonte: Wikimedia Commons

CARTA Nº4
- referente à lição 4 do 
CURSO ELEMENTAR DE ASTROLOGIA

Querido(a) irmão(a) Estudante:

Em nossa última carta começamos uma dissertação sobre Vênus. Continuemos a tratar desse tema.

A natureza intrínseca de Vênus pode ser sintetizada nas ideias de Harmonia e Ritmo. De fato, este planeta tem a tendência de unir as pessoas afins, para com elas formar agradáveis companhias ou associações de diferentes graus, a que chamamos amizade e amor. É a “casa” que indica, imediatamente, o departamento de nossas vidas em que Vênus exerce a sua benéfica influência. E os seus aspectos com os demais astros determinam a qualidade ou grau dessa influência. 

Se está situado na terceira casa, que representa os irmãos e os de constante contato, podemos dizer que é MERECIDO o amor que desfrutamos com nossos parentes, vizinhos e colegas; indica, seguramente, que a sementeira de esforços e de amor, na vida anterior, se está exprimindo nos frutos de seu afeto, para aformosear nossa presente existência.

Se Vênus está colocado na 7ª casa, pode atrair-nos uma alma gêmea, cujo amor conjugal nos tornará esta terra semelhante aos céus, pois o verdadeiro matrimônio das almas e um cântico de extática alegria, um hino de louvor, entoado por espíritos afins. Este canto é ensinado pelos Anjos no céu, para o harmonioso acompanhamento do Canto das Esferas. Aquele que puder trazer a Terra um ressoar desse coro da Harmonia Celestial, por mais débil que seja, encherá seu coração com uma canção de felicidade, um manancial de júbilo que nenhum sofrimento poderá sufocar.

Na décima-primeira casa, Vênus atrairá amigos carinhosos, cujo afeto conquistamos anteriormente, pois o horóscopo nos mostra o que merecemos de alegrias ou tristezas. Nós mesmos geramos nosso “destino”. As estrelas simplesmente indicam o tempo da colheita, como o Sol chama o lavrador para a sega. A bondade de nossos atuais amigos foi conquistada em vida anterior, mediante nossos atos de serviço amoroso e altruísta. Não podemos CONSERVAR amigos nem sócios, nem parentes, unidos em laços de afeto, a menos que avivemos o fogo do amor. Devemos comportar-nos fraternalmente, para reter o afeto dos que nos rodeiam. Amizade gera amizade; amor gera amor. Devemos agir amorosamente para conservar o afeto conjugal.

Caso contrário, a luz do amor ir-se-á apagando, não importa a boa posição ou favorável aspecto que nosso Vênus agora tenha. As estrelas revelam apenas a tendência das coisas e vimos as tendências de um Vênus bem aspectado. Mas podemos desfigurá-las e viciá-las por novas ações errôneas. Se assim o fizermos, traremos na próxima vida um Vênus aflito que nos dificultará a atração do amor.

Cuidemos, pois, para que os nossos presentes atos tornem os raios de Vênus os mais brilhantes de todos.

Seu, mui fraternalmente, MAX HEINDEL

***********************************

CARTA Nº5- referente à lição 5 do CURSO ELEMENTAR DE ASTROLOGIA

Querido(a) irmão(a) Estudante:

Marte possui qualidades completamente opostas a Vênus. Se você ainda tem de memória o que dissemos sobre as características de Vênus, poderá aprender algo mais de sua natureza, confrontando-a com a de Marte. O primeiro grande contraste que desejo mostrar, é este: as pessoas que ocupam os graus mais elevados na escala evolutiva, tem Vênus na melhor posição em seus horóscopos; ao que as pessoas menos amadurecidas internamente estão dominadas pelos discordantes raios marcianos. Os animais se encontram inteiramente sujeitos ao impulso de Marte, que lhes aviva as paixões. Em contraposição, Vênus alimenta a natureza amorosa. Aclaremos este ponto, por meio de uma ilustração:

Suponhamos que Vênus seja o regente do horóscopo e esteja situado na 7ª casa (que representa o público), em sextil com Júpiter na 9ª casa (Religião) e em trígono com o Sol na 11ª casa (Amigos). Vislumbramos facilmente, neste caso, uma pessoa bem aquinhoada para tratar com o público (Vênus na 7ª casa). Júpiter (a benevolência), colocado na 9ª casa (Religião), mostra seus esforços para conduzir-se conforme as normas religiosas. O Sol, que significa pessoas de elevada posição, encontra-se na casa dos amigos (a 11ª casa). Em resumo, estes bons aspectos entre astros benéficos nos descrevem uma pessoa do gênero humano, mui estimada por sua benevolência.

Agora figuremos um caso oposto, em que Marte seja o regente e esteja colocado na l0ª casa (da posição social), em quadratura com Urano cuja característica pode ser resumida como: engenhosidade. Urano está situado na 7ª casa (público). Tais planetas maléficos, em aspectos adversos, revelam-nos uma pessoa que usa sua engenhosidade como uma ameaça para o público. E, se adicionarmos a este caso uma quadratura de Marte com Saturno planeta que ata e restringe, e este encontra na 12ª casa (das aflições e confinamentos), podemos deduzir que suas depredações o levarão, como inimigo público, à prisão.

Mas, suponhamos que este inimigo público em potencial nasça num lar cujo pai seja um benfeitor responsável e esclarecido; que o pai levante e leia o horóscopo da criança, descobrindo, já, na infância, seus pontos fracos e comece a influencia-la beneficamente; nesse caso as aflições e perigos são extirpados, antes que possam florescer. Saturno, na 12ª casa, certamente o levara a reclusão, pois, bem poucos podem chegar a romper-lhe os laços. Todavia, o poder de Marte pode ser canalizado construtivamente; é o de Urano poderá ensejar invenções originais, de seu laboratório para o público.

Não importa o quão adverso se apresente um horóscopo. Nesses casos há sempre bons aspectos, cujas qualidades podem ser desenvolvidas pelos pais ou amigos da criança. Se assim o fazemos, acumulamos para nos grandes tesouros no céu.

Seu, mui fraternalmente, MAX HEINDEL

***********************************

 CARTA Nº6- referente à lição 6 do CURSO ELEMENTAR DE ASTROLOGIA

Querido(a) irmão(a) Estudante:

Com relação ao confronto que estabelecemos, na carta anterior, entre Marte e Vênus, seria um erro pensar que Marte seja inteiramente maléfico e Vênus completamente amoroso. Cada um deles geralmente se exprime como Luz e sombra. Depende de nós o viver melhor ou a pior de suas facetas

A natureza intrínseca de Marte é "energia dinâmica". Dele provêm a ambição para realizar os objetivos. Ele provê o poder para o trabalho no mundo. Portanto, a expressão desta energia construtiva há de sacudir o marasmo, há de suscitar e causar choques entre os homens. Daí se engendram o ódio e antagonismos, provocados pela energia marciana, de diversos modos e em vários sentidos.

Marte por si só, não se constitui neste elemento de discórdia. O modo de usarmos esta energia é que pode ser harmonioso ou desarmonioso. Assim, é um equívoco maldizer Marte ou mirá-lo com antipatia, em razão dos choques a que nos tende, pelos maus aspectos que apresenta em nosso horóscopo. Isto seria tão errado quanto o maldizermos alimentos bem preparados, quando nos causam indigestões. A culpa não é do alimento sadiamente preparado, mas do estômago doentio, por causa de abusos passados. Esta deficiência por nós provocada é que torna o estômago incapaz de cumprir sua obrigação normal, de bem utilizar os elementos nutritivos, na economia do corpo. Do mesmo modo, o que na realidade devemos lamentar, é que, por causa de nossa falta de domínio próprio, a energia marciana seja desvirtuada em paixão, quando passa através de nós. Isto é que nos impede o melhor uso dessa energia construtiva.

E vemos, uma vez mais, como tudo está maravilhosamente equilibrado no Reino de Deus - o Sistema Solar; percebemos o quão necessário se fazem estes contrastes. Se vivêssemos apenas sob os raios de Vênus, jamais poderíamos conhecer e amar o Bom e o Belo, pois é o contraste que no-los permite distinguir. Se nada de feio e de mau nos rodeasse, como poderiam destacar-se as qualidades opostas do Belo e do Bom?

Aqueles que se esforçam para cultivar apenas as faculdades venusianas do amor e da beleza, desenvolverão, seguramente, um sentido estético pronunciado que os levará a repudiar os mesquinhos aspectos da existência. Porém um tal sentimento de aversão os desviará do impulso de ajudar os demais, porque, equivocadamente, vão matando em si o estímulo dinâmico e realizador de Marte.

Ora, é preciso salientar: a energia marciana galvaniza as pessoas para que estas enfrentem as situações adversas e resolvam as dificuldades da visa, com decisão e perseverança. Os mesmos desafios acabariam desanimando e vencendo aos que desenvolvam unilateralmente a doçura de Vênus.

Mesclemos, pois, os suaves raios de Vênus com a fibra de Marte, a serviço de nossa evolução, para conquistarmos mais elevadas condições.

Seu, mui fraternalmente, MAX HEINDEL

***********************************

CARTA Nº7- referente à lição 7 do CURSO ELEMENTAR DE ASTROLOGIA

Querido(a) irmão(a) Estudante:

A energia dinâmica de Marte é o poder que move o mundo nas esferas civil e industrial. Mas, sob cartas aflições, converte-se em indiferença e destrutividade, propendendo o nativo a ser um indivíduo perigoso, um inimigo público.

Quando o raio de Vênus está afligido, o sentido de beleza e de ordem fica mutilado; a pessoa se torna preguiçosa, desalinhada e sem apreciação própria. Incapaz de sentir um verdadeiro amor, torna-se pervertida e licenciosa, uma dessas pessoas de quem se costuma dizer: “é o pior inimigo de si mesmo”. Tais indivíduos não ofendem propositadamente aos demais; no entanto, espalham uma imensa quantidade de desgraças entre aqueles a quem dizem amar.

O primeiro tipo é perigoso para a sociedade, quando a ausência do raio do amor de Vênus o torna incapaz de canalizar sua exuberante energia. A segunda classe de indivíduos é perniciosa, por carecer da energia dinâmica de Marte, para levar à prática suas boas intenções.

Vemos essas duas classes de pessoas pelo mundo e a miséria que provocam, a si mesmas e aos outros. Geralmente, seu caráter já está por demais cristalizado nessas falhas. Pouco podemos fazer para ajudá-los a mudar essa condição. Assim, não nos resta outra alternativa, senão deixá-los em mãos da mestra “experiência”. No entanto, há muitos deles, crianças ainda, estão crescendo entre nós. Não devemos perder as oportunidades que se oferecem para ajudá-los.

Lemos no “Apocalipse” que o “Espírito” falou às igrejas, recriminando-as de várias maneiras pelos defeitos que encontrou. Mas, a uma das igrejas a sua repreensão foi mais severa: “Conheço tuas obras; quem dera fosse frio ou quente. Mas, porque és morno, nem quente nem frio, estou para te vomitar de minha boca” (Apoc. 3:15,16). 

Em consonância com este pensamento, dizemos também que a chamada criança má ou rebelde não é um problema tão difícil. No mesmo sentido, afirmamos que a criança boazinha e bonachona bem pode converter-se num inútil bondoso, num despojo humano, digno de compaixão: faremos bem em vigiá-la constantemente, recordando-lhe as pequenas negligências e erros.

Canalize-se a energia marciana: então, a criança mais rebelde se converterá no melhor adulto. Isto é conseguido quando o amor de Vênus conquista a força de Marte. Todavia, muito mais difícil é corrigir um Vênus aflito. Exige a firmeza de galvanizar a criança com a energia dinâmica, a fim de que ela seja realmente boa e não apenas em aparência.

Seu, mui fraternalmente, MAX HEINDEL

***********************************

Tradução da Fraternidade Rosacruz - Sede Central do Brasil (Se divulgar, facor manter os créditos)

Relacionado: NOÇÕES BÁSICAS - AS CASAS ZODIACIAS

06/01/2022

AS LUNAÇÕES PARA 2022 E UM POEMA


Consultemos - mensalmente e com atenção - nosso tema Natal, vejamos em que Casa Zodiacal ocorrem estas Lunações - há uma tendência destas Casas serem ativadas.

Observemos também se estas Lunações fazem aspectos (conjunções, sextis, quadraturas, trigonos ou oposições) com algum planeta radical, Meio Céu, Cabeça/Cauda do Dragão, Roda da Fortuna ou Ascendente; agradeçamos a Deus por estas experiências, sejam quais forem, pedindo – fervorosamente - também aos Irmãos Maiores para que as possamos assimilar.

No ano de 2.022, haverá duas lunações (Lua Nova) no mês de abril.

Nosso Tema Natal (horóscopo) e seus aspectos são bênçãos divinas, nos trazendo EXPERIÊNCIAS E CRESCIMENTO ANÍMICO: os objetivos de nossos (re) nascimentos na Terra.

* * * * * * * * *

TIRE UM TEMPO

Tire um tempo para pensar,
é a força do poder.

Tire um tempo para brincar,
é o segredo da juventude eterna.

Tire um tempo para ler,
é a fonte da juventude.

Tire um tempo para orar,
é a maior força da Terra.

Tire um tempo para amar e ser amado,
é um privilégio concedido por Deus.

Tire um tempo para ser amável,
esta é a verdadeira estrada para a felicidade.

Tire um tempo para rir,
essa é a música da alma.

Tire um tempo para doar,
o dia é muito curto para ser egoísta.

Tire um tempo para trabalhar,
esse é o preço do sucesso.

Poema de autor desconhecido publicado na Lição Mensal do Estudante - Sede Mundial – Oceanside, Maio de 1.965 – Os Sons e os Éteres Parte V – A Lira de Apolo e a Música das Esferas

31/12/2021

A ASTROLOGIA COMO UMA AJUDA NA CURA DOS DOENTES

 por Max Heindel

Já refletiram alguma vez por que Cristo determinou que devíamos curar os doentes? Certamente uma das razões baseia-se em ter demonstrado que o corpo pode ser curado, e aqueles que forem aliviados de um sofrimento, terão maior fé e estarão em melhores condições para sanar também a alma. Quando tivermos alcançado a elevada estatura de Cristo e pudermos ver, de um só relance, o passado e o presente e assim determinar as causas, as crises e as condições atuais de uma doença, não precisaremos de ajuda para diagnosticar e medicar. Mas, até esse dia chegar, devemos utilizar as muletas que temos, e uma delas é a astrologia.

Muitas pessoas que não tiveram força de vontade suficiente para trabalhar e obter resultados, vieram à Sede Mundial na esperança de alcançar iluminação espiritual, que lhes nascessem asas para voltar ao mundo como pessoas prodigiosas depois de uns dias de permanência aqui. Naturalmente tiveram uma decepção. Mas, todo aquele que, séria e honestamente, se dedicou ao trabalho verdadeiro, aos cursos e ao serviço por um tempo razoável, obteve sempre bons resultados. Recebemos uma carta de um amigo que esteve em Mount Ecclesia e que se dedicou profundamente aos estudos. Damos a sua experiência como estímulo para os outros:

"Queridos amigos: a proposta de trabalho que ia aceitar depois da minha estadia em Mount Ecclesia pareceu-me corrupta e pouco compatível com os nossos ideais, pelo que apresentei a minha demissão. Entretanto, tão depressa o fiz, recebi um convite de um eminente médico de Kansas City para trabalharmos juntos. Apelou para mim crendo que eu estava apto a ajudá-lo. Vimo-nos assediados por doentes. Como é maravilhoso constatar que as pessoas anseiam por coisas desta natureza, procuram alguém que lhes revele o sentido da vida e tentam receber estímulo de fontes que sejam mais dignas de confiança do que as árduas fontes do materialismo que destroem a vida.

A astrologia ajudou-me extraordinariamente para obter a confiança deles e, com o auxílio de Deus que aqui me enviou, pude diagnosticar as suas doenças corretamente. E, o mais surpreendente, é que nenhum deles me revelou qualquer dos seus sintomas. Localizei tanto a doença como os sintomas, e quase todos concordaram que eu estava certo e resolveram viver sob os elevados princípios de humanidade que lhes indiquei.

Espero ter muito trabalho aqui, e desejo expressar os meus agradecimentos pela ajuda que recebi sobre esta matéria durante o ano que passei em Mount Ecclesia. Foi-me imensamente grata a permanência convosco e espero, daqui para frente, poder transmitir com o meu trabalho o bem que aí recebi; lamento apenas não ter podido permanecer mais tempo em vossa companhia".

O que um homem faz, outro homem pode fazer. A senhora Heindel e eu não alcançamos este conhecimento sem esforço. Tivemos que trabalhar arduamente para consegui-lo, e todos que trabalharam zelosamente e com os mesmos ideais espirituais, ajudando na elevação da humanidade, encontraram uma iluminação que não é dada àqueles que só procuram os prêmios materiais da vida e o seu próprio engrandecimento. Parece-me que já é hora da Fraternidade Rosacruz despertar e divulgar este estudo seriamente, com o fim de estabelecer centros de Serviço e Auxílio de Cura em todas as cidades do mundo.

Abrimos na nossa revista uma seção em que delineamos os horóscopos das crianças para assim ajudar os pais a conhecer as características latentes dos filhos. Há também um curso por correspondência para principiantes, além do curso de Astrodiagnose e Astroterapia para probacionistas e, aos que ainda não começaram, aconselhamos que o façam.

Do livro CARTAS  AOS  ESTUDANTES (carta 57) de Max Heindel

ARTIGOS SOBRE SAÚDE E CURA:  aqui

25/09/2021

CARTAS DE MAX HEINDEL (1 A 3) DO CURSO ELEMENTAR DE ASTROLOGIA

 
CARTA nº1 - referente à lição 1 do CURSO ELEMENTAR DE ASTROLOGIA

Querido(a) irmão(a) Estudante:

Anexa a cada lição lhe remetemos, a partir da primeira, uma carta de número correspondente, abordando o aspecto espiritual da Astrologia. Sem esta complementação o Curso ficaria incompleto e unilateral. O lado matemático é a expressão exterior, enquanto o espiritual é a medula, a essência.

Os ponteiros do relógio assinalam a hora dos acontecimentos da vida diária, mas permaneceriam imóveis se não fossem movidos pela força de um mecanismo oculto. Sua paralisação nos causaria a perda de oportunidades na vida. A semelhança dos ponteiros do relógio, os astros visíveis marcam os acontecimentos de nossa vida. A diferença é que os Grandes Espíritos, cujos corpos são os planetas, jamais se detém. Portanto, o Grande Relógio do Destino, cujo mostrador é o céu e os astros, não nos deixa perder oportunidades se bem possamos invalidá-las sob determinadas circunstâncias, como sucede nos assuntos cotidianos.

Conta-se que, em determinada fase de sua vida, Edison trabalhava como telegrafista noturno de uma estação ferroviária. E, para poder dormir nos intervalos possíveis, sem faltar a seu importante dever, idealizou um recurso: punha um cubo de vidro na beira de uma mesa e da torneira fazia correr água, em volume calculado, pare enchê-lo em determinado tempo. Deitava-se em baixo do cubo e quando este se enchia, transbordava e a água lhe caia no rosto, acordando-o em tempo para atender ao primeiro trem. Semelhantemente, estamos girando numa corrente continua de ações, para o bem ou para o mal, rumo ao depósito do TEMPO. O que dele transborda volta sobre nós, impelindo-nos a no­vas ações. Não importa que adormeçamos, como Edison, pois o sono da morte não pode invalidar as ações do espírito imortal. Um novo nascimento ocorrerá exatamente quando o deposito do TEMPO ESTIVER CHEIO, para que o espírito recolha o que semeou.

É sobremodo importante compreendermos, com toda a clareza, o seguinte ponto de vista: não é o fato de termos nascido num determinado instante que nos determinará um certo destino. Se assim fosse, teríamos razões de sobejo para renegar a fatalidade de nascer sob má estrela e para ficar aborrecidos com Deus, de sofrer tão má fortuna, sem direito de escolha. Em verdade, somos impulsionados ao renascimento, no instan­te em que os raios estelares prevalecentes correspondem às inclinações de caráter formadas por nós.

Edison ficaria aborrecido se alguém o desper­tasse do modo descrito, jogando-lhe água na cabeça. No entanto, sabendo que isto lhe acontecia porque ele mesmo o preparara, antes de dormir e, ciente de que isso lhe era vantajoso, ficava até satisfeito. Igual­mente, quando compreendemos que nossas atuais circunstâncias foram determinadas por nossos atos passados quando sabemos que as estrelas apenas marcam o momen­to mais favorável para recolhermos o que semeamos; ficamos também satisfeitos e tratamos de aprender as lições da vida, em vez de maldizer nossa falta de faculdades ou de privilégios.

Queira meditar nestas importantes distinções e jamais esquecer que nascemos num determinado momen­to, porque as configurações estelares correspondiam ao destino por nós engendrado, cujas lições nos são necessárias nesta vida.

Na convicção de que você gravará muito bem estes pontos, subscrevemo-nos

Seu, mui fraternalmente, MAX HEINDEL

***********************************

 CARTA nº 2 - referente à lição 2 do CURSO ELEMENTAR DE ASTROLOGIA 

Querida(o) Irmã(o):

Hoje vamos explicar o modo como os céus influem em nossa vida, através das doze casas. Suponhamos estar viajando de automóvel, por uma estrada costeira, que serpenteia a uma distância variável entre um e dois quilômetros do mar. Uma brisa constante, vinda do oceano, sopra em nossa direção, trazendo-nos em suas asas invisíveis, mensagens dessa terra que atravessamos e provocando-nos evocações agradáveis ou desagradáveis, segundo sua natureza.

Em alguns trechos poderemos sentir-nos deleitados pelo aroma de grama fresca, recém cortada; em outros, é possível que nos chegue o odor penetrante e enjoativo de Jasmim; mais além poderemos sentir náuseas com as emanações pestilentas e malcheirosas da água estagnada de algum pântano para, logo depois, entrar numa faixa de bosque onde o perfume balsâmico e saudável dos pinheiros nos devolva prontamente a saúde e bom humor.

O mesmo sucede durante a peregrinação na Terra, do berço ao túmulo, na qual levamos as chamadas “doze casas”, (veja aqui) dentro da atmosfera áurica que nos rodeia e que igualmente envolve a Terra, acompanhando-a em sua órbita através do espaço. Cada casa reflete uma parte ou departamento de nossa vida. Cada uma delas contém almas das lições que nos cabe aprender. Nas ocasiões certas elas nos aparecem como desafio, convidando-nos a provar se aproveitamos ou não as correções e advertências, para viver em harmonia com esse departamento; nos momentos certos vamos colher, por intermédio de cada casa, o que semeamos em vidas anteriores.

Digamos que a décima primeira casa (a dos Amigos) esteja “aflita”. Isso pode explicar a razão por que nossos amigos nos traem e abandonam, deixando-nos completamente desamparados. Ou então poderá justificar o porquê nos importunam e prejudicam, como o perfume de jasmim ou como o odor pútrido da água estagnada do pântano. Se estamos passando por estas provas, é bom examinarmos o nosso horóscopo: ele revelará os segredos de nossa atmosfera áurica. Os amigos nos observam e nós a eles, através da lente da décima primeira casa ou ângulo. Algo pouco agradável deve encontrar-se ali. E a causa talvez seja esta: de procurarmos sempre os nossos amigos, com o exclusivo intento de lhes tirar proveito, em vez de lhes sermos verdadeiros amigos. Ora, assim como não gostamos que os outros nos sejam como “jasmins enjoativos”, procuremos não sê-lo também aos amigos, com nossas importunações. Comecemos a imitar o aroma agradável e tonificante dos pinheirais. Aí receberemos o efeito natural de atrair verdadeiros amigos e com eles desfrutar de um companheirismo desinteressado e virtuoso.

Nem todos os caracteres adquiriram essa força audaz. No entanto, podemos e devemos nos esforçar para ser, pelo menos, sinceros e atraentes como o aroma da grama recém cortada o é para os sentidos. Dessa maneira libertaremos a décima primeira casa de nosso horóscopo das vicissitudes que vem sofrendo nas amizades.

Seu, mui fraternalmente, MAX HEINDEL

***********************************

CARTA nº3 - referente à lição 1 do CURSO ELEMENTAR DE ASTROLOGIA

Querida(o) Irmã(o):

“Quem esquadrinha o céu, APENAS para salvar a própria alma,
Poderá conservar-se na LEI, mas não alcançará o seu objetivo.
Aquele que anda em AMOR poderá errar algumas vezes,
Mas Deus o conduzirá à Terra dos Bem aventurados!”

Estes versos vêm de um poeta anônimo. Sua essência está perfeitamente de acordo com as doutrinas de Cristo, referentes ao jovem rico e também com os ensinamentos de Paulo apostolo, contidos no inimitável capítulo XIII de sua primeira carta aos Coríntios.

O amor e o manancial da vida. Só o amor torna a vida digna de ser vivida. Considero, pois, que, num Curso de Astrologia, encarado de um ponto de vista místico, o planeta do amor Vênus deva ter um preferencial direito à nossa apreciação.

Cada CASA, já o sabemos, representa um departamento determinado da vida. Quando compreendemos o valor intrínseco dos planetas, estamos em condições de ler a mensagem das estrelas, sem necessidade de livros e nem levar em conta qualquer autoridade nessa matéria. Exercitando nosso próprio divino poder de raciocínio, conseguiremos combinar os simples fatores básicos e chegar a ser um bom astrólogo (palavra que significa aquele que sabe raciocinar em assuntos referentes as estrelas ou aos astros). Este preparo nos põe em condição bem diferente da de qualquer charlatão estouvado que esteja a reproduzir o que lê. E muito fácil ler e repetir como um papagaio. Ora, em questão intuitiva, como a astrologia, é indispensável exercitarmos o entendimento para investigar e deixar que o íntimo nos leve a uma dedução original. Só assim poderemos chegar a uma interpretação adequada dos escritos estelares. É o que nos propomos: ajudar cada um neste esforço que, sem dúvida, produz um assombroso crescimento anímico. Assim, espero que os estudantes leiam as lições, porém, meditem muito mais do que leem: só deste modo conquistarão aquele conhecimento profundo e seguro que nenhuma autoridade na matéria pode dar, por simples exposições intelectuais. Ao mesmo tempo advir-lhes-á um poder anímico de inestimável valor, chamado INTUIÇÃO.

Posso ensinar-lhe a ERIGIR um horóscopo: há, para isso, regras certas, definidas, um tanto maçantes, porém, seguras. No entanto, nem eu nem ninguém pode ensinar como se um tema natal de maneira adequada. O melhor meio é ajudar os estudantes a combinar os fatores básicos da apreciação horoscópica e deles extrair conclusões lógicas. Começaremos esse trabalho na próxima carta.

Seu, em amoroso serviço, MAX HEINDEL

***********************************

 Tradução da Fraternidade Rosacruz - Sede Central do Brasil (Se divulgar, facor manter os créditos)

Relacionado: NOÇÕES BÁSICAS - AS CASAS ZODIACIAS